Você conhece Ordos?

Por

Avenidas vazias na cidade de Ordos, na China.

Fonte: Time.com


Não, não. Não é algum lugar da Terra Média d’O Senhor dos Anéis. Muito menos o nome de um dos sete reinos de “Game of Thrones”. Até hoje eu nem sabia da existência de Ordos. Sim, é uma cidade e ela não é mera ficção. Ordos está localizada na Mongólia interior, ou seja, na China. Começou a ser construída em 2003 e foi projetada para abrigar mais de um milhão de habitantes. Hoje, em 2013, comporta apenas trinta mil pessoas. É uma cidade fantasma! 

Há relatos sobre a existência de algumas dezenas de cidades abandonas por diversos motivos. Pripyat, na Ucrânia, tornou-se inabitada em virtude da explosão nuclear de Chernobyl e Craco, na Itália, foi desabitada em 1975 em razão de um intenso terremoto que abalou toda estrutura física da mesma. Há ainda outros exemplos de lugarejos tomados pelo tempo, principalmente por causas econômicas. Mercados escassos de mineração, fim de reservas fósseis e assim por diante acabaram por desabitar cidades inteiras. Mas Ordos é diferente. 

E por que? Porque ela é uma cidade moderna e bem planejada. Em matéria publicada na revista Carta Capital da semana passada (ano XVIII, número 735), a colunista Janaína Silveira diz que lá há museu, biblioteca, montadora de carros, aeroporto, centro de exibições… Apenas com a visualização de algumas fotos é possível observar a grandiosidade do projeto. Distritos vazios, avenidas sem movimento e monumentos com cavalos (símbolos da cultura mongol) em praças desocupadas podem ser vistos no site do jornal “Time”.

Ao contrário das outras cidades fantasmas, Ordos nem chegou a ter uma população numerosa. Todavia, o motivo da sua construção é bem fundamentado: a região é rica em carvão, petróleo e gás. Sozinha possui 150 bilhões de toneladas de carvão mineral, um sexto de todas as reservas chinesas. E é este o principal motivo de ter trazido esta notícia ao blog. Com esta onda em prol do desenvolvimento de energias sustentáveis e renováveis, não seria um “tiro no escuro” dos chineses? As perspectivas variam bastante, alguns acreditam que sim, mas outros preveem um futuro de bonança para a cidade. 

Em Pequim, os reflexos da poluição são sempre visíveis. Pessoas estão andando com máscaras nas ruas em dias nos quais é impossível até observar os grandes prédios cobertos por uma densa camada de fumaça. Os níveis de poluentes na capital foram considerados perigosos pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Grande parte da pujança econômica chinesa e do seu elevado crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) advém das amplas indústrias e do uso irrestrito de combustíveis fósseis.

Juntando-se a isso, Ordos também é exemplo da bolha imobiliária do país. Interessante, não? Olhando a foto acima, daria um bom cenário para as gravações do “The Walking Dead”.


Categorias: Ásia e Oceania, Economia, Meio Ambiente