Vivendo e dialogando

Por

Se dizem por aí que a propaganda é a alma do negócio, pode-se sugerir que o diálogo é a alma das Relações Internacionais. Por ocasião desta semana, China e África do Sul deram mais um passo no sentido do aprofundamento de tal reflexão.

A parceria estratégica entre estes dois Estados – anunciada como polivalente, já que compreende 28 áreas de cooperação – demonstra o diálogo político que chineses e sul-africanos pretendem estreitar nos próximos tempos.

A primeira visita de Jacob Zuma, presidente sul-africano, ao gigante asiático (juntamente com mais de trezentos homens de negócios), terminou ontem com um saldo positivo para ambos os lados – uma dúzia de contratos comerciais foram assinados em várias áreas, tais como defesa, cultura, transporte ou turismo, por exemplo.

Quando questionado a respeito do risco de continuidade do neocolonialismo na África por vias chinesas, o Ministro do Comércio da África do Sul sugeriu que a resposta ao Ocidente deveria ser: “olha quem está falando”

O que pode ser chamado de “diálogo dos que chegaram depois” na verdade demonstra uma realidade cada dia mais presente no cenário internacional: o diálogo inter-estatal com vistas à cooperação estratégica. Vivendo e aprendendo, dialogando e crescendo, assim parece que segue a vida na Política Internacional, especialmente entre os países em desenvolvimento acelerado.


Categorias: África, Ásia e Oceania


0 comments