Velhas discussões

Por

[Post rápido]

Uma velha discussão tomou conta essa semana da reunião da ONU sobre drogas. Liberar ou não? Política de enfrentamento ou redução de danos?

Minha opinião é clara: As drogas devem ser proibidas. E essa conversa de redução de danos pra mim não passa de lero-lero.

Não vou entrar em questões nacionais, como, por exemplo, a legalização da droga no Brasil. Até porque eu duvido muito que traficante vá recolher ICMS e fazer nota fiscal de suas vendas. Se bandido quisesse fazer isso, não seria bandido…

No plano internacional a questão das drogas está relacionada com a segurança internacional. A exploração da pobreza em países como o Afeganistão é que gera a renda utilizada por grupos terroristas. As drogras também estão ligadas ao tráfico de pessoas e de armas.

Sobre as armas, é com a venda de drogas que grupos extremistas em países da África, Oriente Médio e Ásia Central, entre outros, compram as armas utilizadas para desestabilizar a ordem não só em seu país como também de sua região. Ordem essa normalmente muito precária nesses países.

De onde vem o dinheiro das FARC? Com toda certeza vem dos cartéis de cocaína da Colômbia. O mesmo grupo que se utiliza desse tipo de financiamento também promove seqüestros.

Portanto, não há razão para se pensar em legalizar drogas ou incentivar seu uso com as políticas de redução de danos, distribuindo-se seringas descartáveis, por exemplo.

E antes que alguém se lembre da Holanda, a Suécia resolveu seu problema com as drogas com uma legislação extremamente rígida…

Essa é uma velha discussão, e minha opinião, certamente, é passível de críticas. Se você não concorda, desça a lenha!

Até mais pessoal, está tudo meio corrido e eu tinha preparado um post maior e mais abrangente, mas o navegador travou e eu perdi tudo, por isso fiz esse mais curto. Sobre a reunião da UNASUL, não estou encontrando nada muito interessante, caso alguém tenha, por favor nos envie!


Categorias: Brasil, Polêmica


1 comments
Adriana
Adriana

Caro Alcir,Também estou de acordo que uma política dura para o combate às drogas seria a solução para os efeitos colaterais que causam. Como você bem apontou, evitaria o financiamento de compra de armas e de grupos guerrilheiros, além do sequestro de pessoas inocentes.Mas não podemos esquecer também o outro lado da moeda. Se existem traficantes, certamente é porque existem consumidores de drogas, e esses não podem ser simplesmente exterminados com um passe de mágica. Haverá necessidade de políticas para reverter seu estado de dependência,como por exemplo, centros de reabilitação. Enquanto essa ajuda não chega a todos, como evitar que esse quadro piore ainda mais com a proliferação de doenças como a AIDS, que como sabemos, é transmitida por meio de compartilhamento de seringas?Acredito que em um primeiro momento, além de medidas duras para coibir a prática do uso e do tráfico de drogas, seria interessante também uma política de conscientização e de prevenção (que já existem, mas que sozinhas não conseguem suprir a demanda...), até que esse mal seja erradicado da sociedade, se é que isso realmente será possível.