Uma já é muito. Sete é palhaçada!

Por

O Obama pisou na bola. Uma base já é demais! Imagina as sete que os Estados Unidos estão querendo usar na Colômbia… Tudo bem que o problema do narcotráfico e o terrorismo naquele país afetam a segurança não só dos EUA e da própria Colômbia, como a do Brasil. Mas sete bases já é abuso.

Miriam Leitão que me desculpe, mas as bases ameaçam, sim, o Brasil e os outros países. Aliás, sobre o que ela diz nesse link, eu não imagino nenhum militar brasileiro dizendo que está se borrando nas calças de medo de quem quer que seja… Aliás, ela (ou o militar) diz que, caso haja uma invasão no Brasil, ela não seria por terra.

E o militar acha que se a invasão for pelo ar os nossos aviõezinhos da Guerra do Yom Kipur iam conter os aviões bilionários dos EUA…

De qualquer forma, a hipótese de guerra, mesmo com as preocupações do Chávez, é muito pequena. Não há razão para uma guerra entre os Estados Unidos e países da América do Sul. É um tiro no pé. Nós já somos tradicional quintal de influência deles.

Mas a presença de militares de lá por aqui é de causar desconfiança em qualquer um, lógico. É óbvio que os EUA aumentarão sua influência e melhorarão sua posição por aqui.

Então, neste caso, não é medo de levar pau deles numa guerra, mas, sim, de impedir que a influência norte-americana aumente ainda mais na região. O Brasil é o primeiro que perde, claro, possibilidades de se projetar…

No entanto, não há muito o que fazer. A Colômbia é um Estado soberano e tem direito de firmar acordos militares com quem quer que seja. E o Uribe não vai desistir tão fácil da idéia, até já peregrinou por aqui esses dias.

Mas ainda assim, acho graça que o Chávez traga a Rússia pra cá e reclame dos EUA…

Aliás, pra quem achou engraçada a ‘neutralidade’ do Paraguai sobre o tema: veja isso.

Eles já estão entre nós faz tempo…


Categorias: Américas, Brasil, Estados Unidos


0 comments