Quem quer um doce?

Por

UPDATE: Sobre este tema, leiam aqui uma matéria que saiu na “The Economist” dessa semana.

Essa imagem aí em cima tem aparecido com freqüência nos Estados Unidos. O motivo? Acusam o Obama de ser SOCIALISTA. Isso mesmo. O presidente dos EUA um adepto das teorias marxistas…

É claro que quem acusa não tem o mínimo de credibilidade. Aliás, a maioria dos americanos com certeza acha isso uma palhaçada, assim como nós, embora a popularidade do presidente ande muito baixa. Comparar o Obama com o comunismo, socialismo, ou qualquer coisa do gênero só mostra o quão estúpido pode ser um ser humano, além, é claro, de evidenciar a total falta de conhecimento do que é o socialismo.

Basicamente, o tumulto tem acontecido por conta dos projetos de implementação de um sistema de saúde público. Nos Estados Unidos, o que há de público em termos de saúde é o mínimo possível. Quem quer ter algum tipo de atendimento médico deve ter planos privados.

Acontece que a oposição por lá (que é formada de políticos da mesma forma que aqui no Brasil) está aproveitando as polêmicas e a falta de um plano específico do governo para sentar o sarrafo no Obama. Aliás, os republicanos nos EUA andam meio sem líder. Quem está fazendo esse papel é um fanático que tem um programa de rádio xexelento e que coopta os conservadores que mal sabem onde fica a Europa no mapa para pressionar o governo e veicular esse tipo de propaganda que se tem visto. O tal radialista atende pelo nome de Rush Limbaugh.

Tem até uma conversa de que o Obama na verdade é queniano e que seu registro de nascimento do Havaí é falso e que, por isso, deveria ter o mandato de presidente cassado… Francamente!


Mas o pior de tudo, certamente, é a comparação de Obama com Hitler! Sem comentários. Dizem que, assim como o líder nazista, Obama foi eleito para ‘mudanças’. Mais uma vez, poupo-me de comentar as diferenças entre o regime nazista, desde sua ideologia, métodos, etc. e o presidente dos Estados Unidos. Imagino que os leitores deste blog, ao contrário da ‘direita lunática’ dos EUA, nas palavras de Luís Fernando Veríssimo (que escreveu uma excelente crônica sobre este tema), é suficientemente entendido pra não cair nessa conversa idiota. A lei de Godwin deve estar é certa!

Quem adivinhar quem está por trás disso tudo ganha um doce!

Lobbies pesadíssimos da indústria farmacêutica, dos planos de saúde, das empresas que não querem ter mais custos, enfim… Não se trata de conspiração. Mas nos Estados Unidos lobby é coisa séria, legalizada, levada a cabo pelas empresas (que inclusive têm escritórios de representação dentro do congresso). E não é nada tão escondido como acontece no Brasil, embora, neste caso específico, não esteja acontecendo às claras.

O mais provável é que não se consiga aprovar nada. Ou então, algo que não mude coisa nenhuma.

O mais engraçado, no entanto, é que os mesmos americanos que votaram e apoiaram o presidente por esse começo de mandato são os que agora o rejeitam (caso contário sua popularidade não estaria tão baixa). Os que antes clamavam por um sistema universal de saúde e agora o atacam!

Eu acho que o Obama devia é implementar um plano de reestruturação da educação, e não da saúde dos americanos… Duvida, clique aqui.


Categorias: Estados Unidos


2 comments
Leo.
Leo.

Creio que na verdade isso é resultado de erro do Obama. Que o sistema americano de saude é problemático todo mundo sabe e ele já dizia isso na campanha, mas ele colocou o que quer mudar num pacote facil e visível? E a isso se soma uma postura meio dúbia do Obama, e americna gosta de um presidente cheio de certezas (mesmos quando erradas)...

Luís Felipe Kitamura
Luís Felipe Kitamura

Vixi...hahahah. É a mesma ladainha de quando o Bill Clinton tentou aprovar sua proposta para a saúde em meados da década de 1990. Na verdade, a Hillary Clinton tentou, veja bem, tentou comandar todo esse processo.Isso aí não deve ir para frente mesmo. Os americanos preferem escolher entre os planos privados, que nao cobrem, nem reembolsam nada quando o paciente precisa de fato, a um sistema público. A melhor solução? Ir para o Canadá! Lá sim tem um sistema público e de qualidade. Isso os americanos não vão perceber tão cedo. É muito comunista! hahah