Post especial para a Bianca!

Por

Nesta semana de comemoração e posts especiais – particularmente por causa do lançamento do nosso livro -, todos nós, colaboradores da Página Internacional, não poderíamos deixar de fazer mais uma postagem comemorativa. Desta vez, homenageamos a colaboradora Bianca Fadel, que, neste momento, está a caminho da Bélgica. É claro que não comemoramos sua partida, Bianca; comemoramos esta nova fase de sua vida, a qual temos a absoluta certeza de que será fantástica. Ao longo dos próximos dois anos, não teremos ao lado aquele sorriso afável e aquele jeito mágico de ser, sempre tão comentados e venerados. Mas seguimos com a convicção de que não há gélidas fronteiras que desaqueçam o calor da amizade, ainda que nossos laços sejam conduzidos por fios.

Se nos permitir breves recordações, Bianca, para saborear no presente todo o encanto do passado, nós gostaríamos de lhe se servir, no prato de sua memória, o inesquecível, temperado com emoções e alegrias. De modo praticamente inevitável, logo nos vêm à mente a imagem da toda esforçada delegada do Chile, na 3ª Edição do United Nations Model of São Paulo (UN-SP). Em 2007, você já demonstrava, com distinta elegância, que há espaço para a bondade nas relações internacionais. E não parou por aí. Militou pela bondade em sua passagem pelo 3º Setor da Orbe-Empresa Júnior de Relações Internacionais da Unesp-Franca e na iniciativa de trazer uma representação da Cruz Vermelha para Franca. Há pouco tempo, esteve na Espanha, participando da “X Edição do Programa de Jovens Líderes Ibero-americanos”, e nos contou sobre isso muito entusiasmada. Quis o destino que a Europa te acolhesse novamente.

Suas ações, Bianca, engrandecem a alma humana, demonstram o quão longe os seres humanos podem ir sem definir os interesses meramente em termos de poder, como avaliaria Morgenthau. O melhor é pensar na poesia de Guimarães Rosa, que parece ter sido escrita para você:

“O correr da vida embrulha tudo.
A vida é assim: esquenta e esfria,
Aperta e daí afrouxa,
Sossega e depois desinquieta.
O que ela quer da gente é coragem.”

A Página Internacional se orgulha muito de ter você entre seus membros, uma pessoa que, como pouquíssimas, pode assumir uma forma tão angelical. Queremos te dar todo o incentivo que pudermos te oferecer por meio deste post. Esperamos confortar qualquer saudade que vier a sentir quando a solidão te fizer companhia. O mestrado da Universidade Católica de Louvain, na Bélgica, acaba de ganhar um anjo, dedicado a pesquisar na linha de ações humanitárias. A exemplo dos colaboradores Ivan e Luís Felipe, e de modo a destacar o “Internacional” do nome do blog, voltaremos a ter postagens do estrangeiro, o que enriquece as análises culturalmente.

Dê a coragem que a vida te cobra e faça seu sucesso resplandecer em nossos olhos. Boa sorte, Bianca!


Categorias: Post Especial


3 comments
Bianca Fadel
Bianca Fadel

Não tenho palavras para agradecer pelo carinho de todos. A PI é um projeto que ja faz parte da minha vida, assim como todos os seus queridos colaboradores. Sinto-me extremamente lisonjeada por tê-los por perto, ainda que - temporariamente - um oceano se estenda entre nos.Muito obrigada mesmo! =)Beijos, direto da Belgica! ;)

Anonymous
Anonymous

Prezado Giovani Okado,Aproveito este espaço, não somente para parabenizar pelo texto, mas sobretudo para agradecê-lo pelas palavras dedicadas a Bianca Fadel.Como diz o escritor , Bruno Ferrero:“’A vida é uma viagem. Você começa passo a passo . E, se cada passo é maravilhoso, se cada passo é mágico, assim, certamente , será a VIDA.”’Que a Bianca, continue firme em seus objetivos. E, que esta etapa da vida seja superada com maestria mas , acima de tudo com proteção e bençãos Divinas.Nádia e Harley Pais da Bianca Fadel

Mário Machado
Mário Machado

Que bons ventos a levem e principalmente a tragam de volta. O Brasil precisa de seus jovens talentos e eu leitor egoísta quero seus textos. Embora a beleza da internet seja aproximar o distante. Boa sorte Bianca em sua carreira acadêmica. E parabéns Giovanni pelo texto de raro apuro estilístico. Abs,