Posse paraguaia

Por

E a América Latina testemunhou ontem a posse do mais novo presidente paraguaio, Horácio Cartes. Com o reconhecimento do governo, a promessa de relações bilaterais se renova, mas os bons ofícios diplomáticos entre este e todos os países da região ainda não se encontram totalmente restabelecidos.

Após a polêmica saída do ex-presidente Fernando Lugo no que ficou conhecido como “golpe de cavalheiros” que o tirou do poder no Paraguai, grande repercussão foi dada à situação e ocorreu um importante estremecimento das relações nos blocos regionais (Mercosul e Unasul), com a suspensão do país e a retirada dos Embaixadores em Assunção. A entrada da Venezuela no Mercosul (que enfrentava apenas objeção paraguaia) foi um acontecimento importante, mas ainda muito criticado pelo Paraguai.

O presidente venezuelano não chegou nem mesmo a ser convidado para a cerimônia de posse de Cartes (apesar de tê-lo felicitado…), e, com isso, os presidentes boliviano e equatoriano também não compareceram em solidariedade àquele. Com um discurso paraguaio que prioriza as relações bilaterais com os membros do Mercosul, a situação ainda reflete incertezas que prejudicam a cooperação regional.

Em um contexto internacional em que cada vez mais os Estados são chamados à cooperação conjunta nos mais diversos temas para alinhamento dos discursos e melhores resultados, o posicionamento de Cartes evidencia uma dificuldade na busca da integração regional latino-americana.

O fato de que Cartes seja do Partido Colorado reflete ainda o desafio de contrastar o peso histórico da ditadura de Stroessner no país com os objetivos de promover um “governo inclusivo” e uma “guerra à pobreza”, conforme ressaltado em seu discurso de posse. Estes foram os principais pontos enfatizados.

Com 39% da população em situação de pobreza, sendo 19% casos de extrema pobreza, fato é que o contexto paraguaio exige medidas sociais profundas para lutar contra a desigualdade social no país. Este é um dos maiores desafios da região e certamente deverá constituir prioridade para o recém-empossado presidente paraguaio.


Categorias: Américas, Política e Política Externa


0 comments