Mulheres do mundo

Por

Hoje é o dia internacional da mulher. Essa data tem origem já no começo do século XX, época de lutas sociais. A comemoração ficou, e hoje em dia a cada ano a ONU dedica a data a um tema, e o de 2013 é o clamor pelo fim da violência contra a mulher. Parece muito significativo poucos meses depois do emblemático ataque sexual a uma indiana que chocou o mundo, mas revela uma realidade crua ainda para a maioria das mulheres do mundo. Mesmo com esse dia especial, mudou alguma coisa? 

As estatísticas mostram que uma enorme porcentagem de mulheres ainda vai sofrer algum tipo de violência na vida, existem desigualdades no mercado de trabalho, e o mundo ainda é dos “homens”. Basta ver o noticiário pra ter uma noção, girando em torno de figuras masculinas. Quando não, são eventos ligados à guerra, que está ligada ao gênero da lança e do escudo por boa parte de estudiosos feministas. 

E as mulheres que chegaram ao topo? Pelo mundo, há uma progressiva percepção do “empoderamento” de mulheres (pensem nas Dilmas e Merkels por aí), mas isso repercute em verdadeiro sentido de crescimento? Ou essas mulheres poderosas estão apenas se adaptando a um padrão de vivência e estrutura tradicionalmente masculina, se igualando a “eles”? Acho o caso mais interessante desse tipo de discussão o lance do título de “presidenta”. Ao mesmo tempo em que mostra a diferença de se ter uma mulher o cargo, serviria para criar essa “categorização”. Diferencia com uma ideia de nova atitude, mas ao mesmo tempo deixa de igualar com o que já está consolidado. Quem está certo nesse caso? Parece ser muito mais que semântica, e representa como, mesmo no mais alto grau de hierarquia de um Estado, uma questão de gênero pode trazer muita discussão e incerteza ainda, a depender de quem lida com essa informação. 

Não são questões fáceis de discutir em tão pouco espaço, mas fica o registro dessas considerações sobre as mulheres no mundo de hoje. O alento é que a situação poderia ser pior, e a esperança é de melhora. Falta muito, mas quem sabe em postagens futuras não tenhamos conquistas mais sólidas para celebrar. Enquanto isso, podemos parabenizar a todas as mulheres pelo seu dia, e mais do que presentes, mimos e agrados, o desejo de que ganhem respeito pelo que são e merecem.


Categorias: Cultura, Post Especial


0 comments