Laços de petróleo

Por

Existe um famoso dizer popular que exalta o trabalho como forma de desenvolvimento de muitas qualidades do indivíduo. Este, por sinal, é muito conhecido e muito utilizado como forma de incentivar massas e pessoas ao labor: o trabalho enobrece o homem.

Engrandecer os indivíduos é sim um objetivo muito nobre. E soaria até nobre demais se os chineses dissessem que até hoje se importam com as ilhas desabitadas de Diaoyu – cuja tradução ao pé da letra de seu nome significaria Plataforma pesqueira – pelas possibilidades de pesca da região e, portanto, de trabalho para sua população.

Os leitores podem estar se questionando o porquê digo isso. Bom, pode-se dizer essas ilhas são vetores de disputas históricas entre Japão, China e Taiwan e estão bem em pauta atualmente. E, digamos que, foi uma das razões por trás do atual rompimento diplomático chinês com o Japão.

De modo geral, as ilhas eram consideradas, há um tempo, como parte da então província chinesa de Taiwan, e era base pesqueira para chineses. Todavia, com a eclosão da 2ª Guerra Mundial, o Japão tomou diversos territórios chineses, inclusive as famigeradas ilhas de plataforma pesqueira.

Até que em meados dos anos 1970, uma comissão das Nações Unidas (Comissão Econômica e Social para a Ásia e o Pacífico – CESPAP) divulgou a existência de largas jazidas de petróleo na região.

Digamos que isso renovou os ânimos da China, do Japão e de Taiwan por busca da soberania da ilha. Oficialmente, a ilha está sob soberania japonesa. Contudo, isso não significa que os outros dois Estados aceitem pacificamente a decisão.

As investidas japonesas por investigações e impedimentos de navios pesqueiros chineses na região ainda hoje, mais de 58 anos depois dos acordos entre China e Japão, ainda provocam certo desconforto tanto nas populações quanto nos governos chineses e taiwaneses (para mais informações sobre o assunto, clique aqui).

Pode-se então ver que há uma questão muito maior por trás de uma rusga por pedido de investigação de navios pesqueiros. Há um desenrolar histórico e interesses geopolíticos também. Se o trabalho enobrece o homem, no caso, parece também que o petróleo enobrece os Estados. . .


Categorias: Ásia e Oceania, Conflitos


0 comments