Impressões desde os Andes Peruanos

Por

Querido Alcir,
Desculpe a demora, enfim tomei vergonha na cara e escrevi algo sucinto para postar. (risos)

Gostei da sua sugestão de comentar algo sobre o que é ser Brasileiro aqui em Lima, Peru. Pensei em buscar artigos e temas mais teóricos para dar sustento ao que pensava escrever, mas analisando com mais atenção o blog cheguei à conclusão que o mais adequado seria comentar notícias, impressões e histórias pessoais com relação ao que venho experimentando por aqui.

Já cumpro dois anos em Lima, cheguei justo dois dias depois do terremoto de 15 de agosto de 2007 que teve muita repercussão internacional. Pude sentir as acaloradas histórias de familiares e amigos de como experimentaram o grande susto na capital, felizmente só um susto por aqui. Não tiveram a mesma sorte os moradores das cidades de Ica, Pisco e Chincha, região litorânea ao sul de Lima. Lá sim, diversas perdas humanas foram perdidas, total de 350 mortos e mais de 1000 feridos.

Além disso, cidades praticamente desapareceram do mapa como a cidade de Pisco a 290 km ao sul de Lima onde mais de 70% das habitações ficaram destruídas, ou seja, só ficou o pó das mesmas. Pude comprovar em Ica o grave que estava, estive por lá quatro meses depois do evento fatídico. Lamentavelmente, os trabalhos de recuperação das cidades afetadas ainda estão a passos de tartaruga. É inacreditável que por falta de interesse político e coordenação inadequada permita tal situação “nas coxas”. Só para vocês terem uma idéia do que estou falando vejam a notícia postada no dia 5 de fevereiro no site do diário El Comércio, um dos diários mais tradicionais do país. Clique aqui.

Aí vemos uma demonstração clara do descaso governamental quanto ao atraso na reconstrução das escolas públicas na região de Ica. Enfim, situação não muito diferente que encontramos nas zonas escondidas e esquecidas no interior do nosso Brasil, porém com a diferença que não temos terremotos. Até porque já bastam os “terremotos” diários de corrupção, clientelismos, mentiras e impunidades que recheiam as manchetes dos jornais do nosso país.

Enfim, tomando sua idéia Alcir, minha intenção neste primeiro post, assim como nos seguintes, é comentar minhas experiências e impressões do que é ser brasileira no Peru. Pra dizer a verdade peruano-brasileira já que sou resultado de uma “relação bilateral”, pai peruano e mãe brasileirinha.

Leitores da Página Internacional, podem contar com sua mais nova colaboradora internacional.


Categorias: Américas