Há um ano...

Por

 

Vamos relembrar o que era destaque aqui no blog no final de janeiro de 2013?

No ano passado, a chanceler alemã Angela Merkel fez um discurso no Fórum Econômico Mundial (WEF, em inglês) cogitando medidas para salvar a zona do euro. Já naquele período o cenário europeu era temeroso, com taxas de desemprego altíssimas. Hoje se sabe que a economia da União Europeia está crescendo, o que é muito bom para o comércio internacional. Mas na zona do euro, propriamente dita, tal aumento é mínimo, sendo que as projeções do crescimento de seu Produto Interno Bruto (PIB) está na casa de 1% para este ano, segundo projeções da “The Economist”. Como as coisas mudam rapidamente, no WEF que está ocorrendo agora em Davos, na Suíça, as atenções se voltaram para o primeiro pronunciamento da presidente Dilma Rousseff. Ao final, ela disse em alto e bom som: “Nós estamos preparados para esta Copa [do Mundo de Futebol]”.

Do outro lado do mundo, a Coreia do Norte continuava a ser polêmica. Fora divulgado publicamente que o país continuaria a fazer testes com foguetes e mísseis de longo alcance. Novamente os Estados Unidos receberam com receio a notícia e logo trataram de reafirmar seus ideais. Desde então parece que alguma coisa mudou. Ontem mesmo divulgou-se que os norte-coreanos enviaram uma carta à Coreia do Sul pedindo reconciliação. Sendo verdade ou não, os sul-coreanos afirmar que o vizinho possui uma “agenda oculta” com caráter de provocação militar.

Infelizmente, no dia 27 de janeiro de 2013 ocorria aqui no Brasil o desastre de Santa Maria, cidade interiorana do Rio Grande do Sul, que vitimou 242 pessoas em razão de um incêndio durante festa na Boate Kiss. Agora em 2014 haverá uma série de homenagens e vigílias para lembrar o 1º ano da tragédia. Ficamos de luto e o pior é que até hoje a justiça brasileira não conseguiu amparar as famílias de forma satisfatória. Em depoimentos recentes, pais das vítimas dizem que a prefeitura deu as costas aos processos e tudo fica naquele “jogo de empurra-empurra”. Triste realidade.

Finalmente, também no começo de 2013 era tempo de falar em eleições presidenciais. Chile, Equador e Paraguai tiveram pleitos e nosso texto destacava a grande possibilidade de Rafael Correa continuar liderando os equatorianos, algo que se confirmou e faz de 2014 o sétimo ano do líder no poder. Para saber quais eleições ocorrerão nos próximos meses, veja nosso post “Votação cá e acolá”.

Postando e relembrando…


Categorias: Há um ano...