Há um ano...

Por

…o tom era de festa, com a abertura dos jogos olímpicos de Londres, mas trazia notícias que hoje não têm nada de animadoras. 

No dia 26, justamente o da abertura, a postagem comentava sobre a ocorrência de fatos marcantes durante eventos esportivos. Aqui no Brasil não foi diferente nesse ano, mas de um modo inesperado – a vitória da seleção do país no torneio de futebol realizado em junho foi ofuscada pela onda de protestos em busca de melhoria de condições de vida no país e, em boa parte, contra os gastos desmedidos para a Copa do Mundo do ano que vem. É um marco do rompimento da tradicional inação política de uma geração (ou mais…) pós-regime militar, como há muito tempo não se via, e a tendência é que seja ainda mais agitado em 2014.

No dia 28, o assunto era um pouco mais pesado, com a questão do governo turco e as violações de direitos humanos na Síria. Mais que defender interesses humanitários, a Turquia de então estava envolvida com instabilidades internas que seriam pioradas por um fluxo indesejado de refugiados. Hoje, a situação fica cada vez pior, com as revoltas contra o crescente autoritarismo do primeiro-ministro Erdogan, cada vez mais afastado do progressismo do inicio de seu mandato, e violência contra os manifestantes. O bom e velho “em casa de ferreiro, espeto é de pau”.

Para fechar, no dia 31, o assunto quente era a entrada da Venezuela no Mercosul, finalmente, graças à suspensão do Paraguai e que era vista como uma vitória pelos governos do bloco. Mais que uma decisão de cunho econômico, o ingresso de Caracas teve um peso político, e parece ser confirmado na situação atual. Comparado com uma iniciativa bem mais ambiciosa como a Aliança do Pacífico, o Mercosul de hoje, abrigando países em crise econômica e com seus laços comerciais cada vez mais estremecidos por iniciativas individuais, se parece muito mais com um grupo de compadres que mal e mal mexe com discussão política. O Paraguai já foi chamado de volta, mas não quer mais. O tempo dirá se o grupo terá a capacidade de ajudar seus membros a sair do buraco, ou se ruma de vez para o fracasso com relação a seus objetivos originais. 

E vamos que vamos pessoal, postando e relembrando…


Categorias: Há um ano...


0 comments