Há um ano...

Por

E cá estamos, um ano depois, relembrando os textos e assuntos que foram postados no blog e que eram pauta na mídia nacional e internacional. Seguimos com nosso exercício de memórias! Há um ano, a “Primavera Árabe” ocupava as manchetes e era tema recorrente no blog.

Tanto a Bianca quanto o Luiz Felipe postaram textos que abordavam a mesma questão, mas de maneiras muito distintas. Primeiramente, no dia 23, no texto “Pão e Circo”, questionou-se a forma que alguns dos ditadores e monarcas tentavam driblar as demandas da população oferecendo garantias que notadamente trariam benefícios sociais, mas cujos conteúdos não se relacionavam com aquilo o povo buscava. Arábia Saudita e Bahrein, eram claros exemplos nos quais oferecia-se algumas benesses aqui enquanto reprimia-se e massacrava-se acolá.

Já o Luiz Felipe nos apresentou um texto que embora abordasse também a “Primavera Árabe”, tinha um foco bem diferente (confira aqui). Se, até aquele momento, o bafafá todo no Oriente Médio tinha algum vencedor, esse, com certeza, estaria na América Latina. Ou melhor, seria uma figura muito bem conhecida por nós cuja imagem é facilmente ligada a complicações e discursos inflamados: Hugo Chávez. Bom, o post nos mostra como as revoltas árabes estavam causando que os preços do petróleo alavancassem e, a Venezuela, por ser a grande produtora de petróleo que é, buscava aproveitar-se dessa maré de sorte. Apesar de o país encontrar-se em períodos de elevada inflação, crises energéticas e recessão econômica, a alta do petróleo aparecia como uma interessante margem de manobra que poderia ser aproveitada para driblar o discurso dos opositores.

Outro texto digno de nota, postado durante essa semana, foi escrito pelo Giovanni (clique aqui para conferir). Abordar a temática do desenvolvimento nacional é algo sempre muito atual e que, mesmo um ano depois, traz interessantes questionamentos. Ele nos coloca reflexões sobre em que vias o Brasil tem andado quando o assunto é desenvolvimento e para onde esse caminho poderá nos levar, opondo os ganhos e previsões positivas no campo econômico aos índices nada instigantes do lado social.

Um ano depois vemos como há temáticas que permanecem muito atuais enquanto outras, como a Primavera Árabe, tem, supostamente, perdido o seu encanto de novidade e o seu brilho de outrora. Todavia, também vemos que as lutas e mudanças são um processo bem mais lento do que se imagina e com consequências para partes que seria difícil vislumbrar.

É isso aí, pessoal, postando e relembrando!


Categorias: Brasil, Há um ano..., Oriente Médio e Mundo Islâmico