Avançando para o Passado II

Por

Lula e Roger Agnelli, presidente da Vale

Em qualquer país sério, quando um ministro de Estado diz que sua pasta está formulando um projeto para igualar um setor da economia ao de outros países em termos de competitividade, imagina-se que haverá desoneração de impostos, incentivos, qualquer coisa que seja para que o dito setor seja mais competitivo.

Mas no Brasil… Ah, no Brasil as coisas são diferentes… Bem diferentes!

O Excelmo. Sr. Ministro das Minas e Energias, Edson Lobão, quer que o setor de mineração no Brasil se iguale ao de outros países, como Austrália, nosso maior concorrente. Justo.

E ele está tomando as medidas. O seu ministério está preparando um novo Código Brasileiro de Mineração. Uma das seguintes medidas será adotada:

1. Criação de um imposto de exportação, ou seja, taxação das exportações das empresas brasileiras de mineração, como a Vale (atenção a este detalhe).

2. Aumento dos royalties pagos pelo setor ao governo.

Espetacular! Fiquemos, então, menos competitivos, porém, mais iguais aos concorrentes!

Se fosse em outro país eu duvidava.

Mas o pior não é nem isso, é a disputa política pela Vale. Pra quem não está acompanhando, tem ocorrido nos últimos dias uma verdadeira guerra nos bastidores do governo. Os protagonistas são o presidente Lula, Eike Batista e Roger Agnelli, presidente da Vale.

Não vou perder o tempo dos leitores explicando as versões “oficiais” da controvérsia, que tem a ver com as demissões da empresa no ano passado.

O causo é o seguinte: Lula quer tirar Agnelli da direção da empresa e colocar um lacaio no lugar. Lacaio este que atende pelo nome de Sérgio Rosa. Isso porque a Vale, desde que deixou de ser cabide de emprego do governo, em 1997, teve seu valor de mercado ‘aumentado’ de 8 para 125 bilhões de dólares, e empregos gerados de 10 para 60 mil.

E o Eike Batista entra como aliado de Lula porque está tentando, há tempos, em vão, sentar numa cadeira na Vale mas não consegue. E encontrou uma boa oportunidade agora.

Ter um lacaio instalado na Vale em ano eleitoral seria ótimo pro Lula. E ele tem ajuda do bilionário Eike Batista na empreitada.

E quem perde? Nós, que corremos o risco de ver uma das maiores empresas do mundo, instalada no Brasil, que gera empregos, investe, enfim, ser alvo de disputas políticas do pior tipo.

Enfim, novamente, o Brasil está avançando para o passado.

Leia mais sobre o assunto aqui e aqui.


Categorias: Brasil


2 comments
Alcir Candido
Alcir Candido

Pois é Kita. E hoje mesmo estive numa reunião na FIESP onde, entre outros, estavam o Lula e o Agnelli. E o Lula não deixou de espetar o coitado...Mais tarde posto com a cobertura do evento,até mais!

Luís Felipe Kitamura
Luís Felipe Kitamura

Alcir,Afinal o Lobão, o referido ministro, é ou não PM - o popular Pau-Mandado - da família Sarney? Essa notícia foi vinculada na semana passada. Eu concordo com você. São medidas como essa que asseguram nossa papel, em alguns sentidos, de eterno "país do futuro".Enquanto isso, ninguém se atreve a se meter no caminho de Lula... e as águas vão rolando até as eleições...Abraços,