(ainda) Mais deputados…

Por


Mas Gripe – A (novo nome da gripe suína…) à parte, um movimento importante tem acontecido e está desapercebido: as eleições diretas pro parlamento do Mercosul.

Isso mesmo, caríssimos eleitores. Nas eleições de 2010, todos teremos de eleger, além de toda a corja que normalmente somos obrigados a votar em, mais alguns “representantes” pro Mercado Comum do Sul. O Paraguai, inclusive, já elegeu os seus no ano passado.

Na verdade, o Parlasul já existe há um tempinho. Só que, até então, os 18 representantes de cada país (figuram entre os brasileiros o Mercadante, o Cristovam Buarque, etc…) eram indicados pelos Estados parte. Agora, teremos de elegê-los.

Como não sou especialista no tema, não posso me aprofundar muito, mas até então, as funções do parlamento eram consultivas. Ou seja, nada que os países teriam de fazer. Pelo que estou vendo, a proposta é que se torne um fórum como o da União Européia. Da mesma forma como funcionam os parlamentos para os países, ele funcionaria para o bloco, tendo uma função mais deliberativa e menos consultiva.

Considerações técnicas a parte, vamos ao que interessa: a análise. O Mercosul, apesar de todos os problemas políticos, tem dado certo do ponto de vista comercial. As trocas comerciais entre os países aumentaram muito desde seu início, principalmente entre Brasil e Argentina (mesmo com as medidas protecionistas todas).

Acontece que o problema é justamente esse: não dá certo politicamente. E a idéia é que o bloco se amplie para algo parecido com o que é a União Européia, que também ainda não conseguiu se unificar politicamente.

Se o bloco regional mais avançado que existe no mundo não consegue resolver suas diferenças, será que o Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai conseguirão (e vai ter a Venezuela agora pra complicar mais)? Diferenças culturais, econômicas, sociais e todas quantas se possa imaginar.

Eu acho muito difícil. Mas, de repente, o parlamente ajude um pouco. Ainda mais um que já existe. Um parlamento eleito pela população é mais legítimo do que um indicado, ainda que corra o risco de cair na politicagem.

Agora, tem outra pergunta que não quer calar: como é que os brasileiros, que já estão querendo usar as cotas de passagens do congresso pra mandar todos os parlamentares pro México, vão ver isso, hein? Esperemos até o início das eleições.

Alguém se candidata?

PS.: Em tempo, devo ainda destacar que pode ser que nem saia do papel essa eleição…


Categorias: Américas, Brasil, Política e Política Externa


2 comments
Alcir Candido
Alcir Candido

Valeu, Luciano!não deixe de ouvir nossos podcasts tb.t +