A força de paz do Alemão

Por

Para que servem, afinal, as Forças Armadas?

Pergunta simples, resposta complexa. De modo geral, podemos dizer que servem para proteger o Estado contra ameaças e assegurar, assim, a vida dos seus cidadãos. Mas aí é que está o problema. No conceito clássico, as Forças Armadas servem para proteção contra fatores externos, uma vez que, no próprio território do Estado, ele mesmo tem o tal “monopólio do uso legítimo da força”. 

O que vemos hoje no Rio, então, é um desafio ao Estado Moderno. Uma força ilegítima exercendo o controle de parte do território do país, no caso, os traficantes e as milícias em favelas da ‘Cidade Maravilhosa’. 

O próprio simbolismo de se erguer a bandeira do Brasil dentro do próprio território nacional como símbolo de ‘conquista’ é algo estranho de se pensar. É como se parte do país não estivesse sob a tutela do Estado. 

Mas o mais paradoxal, contudo, é a participação das Forças Armadas nessa empreitada. Como pensar, no modelo clássico, o Exército combatendo, prendendo e matando seus próprios nacionais? Não serviria a Defesa Nacional para proteção contra as ameaças externas? E o trabalho dos soldados reconstruindo ruas? Eles não deveriam estar sendo treinados para proteção das nossas fronteiras? As polícias é que não deveriam estar encarregadas do exercício do monopólio da força do Estado?

E a tal ‘força de paz nos moldes do Haiti‘? Como as Forças Armadas de um país podem estar envolvidas em ‘missões de paz’ dentro do próprio território nacional e combatendo os próprios cidadãos?

Pensar essas questões no modelo clássico do Estado realmente não faz sentido. É um paradoxo. Mas o problema é que os Estados vêm se comportando ultimamente de modo que a teoria clássica não previa. E não há consenso sobre uma ‘nova’ teoria que explique essas ‘novas ameaças’.

Este conceito de Estado e Forças Armadas são do século XVIII e o mundo mudou bastante de lá pra cá. As ameaças de antes, como guerras por territórios, já não são a maior preocupação dos estadistas de hoje. É como se estivéssemos usando um óculos cujas lentes já não nos ajudam a enxergar.

Vejamos o próprio terrorismo internacional a desafiar diariamente nossos conceitos e dogmas (Tratamos deste assunto no blog outra vez, veja aqui).

Para que servem, então, as Forças Armadas? Boa pergunta, mas talvez reformar estradas esteja longe de ser uma atribuição dos nossos soldados.


Categorias: Brasil, Polêmica, Política e Política Externa


5 comments
Alcir Candido
Alcir Candido

Olá, Mário Henrique, já previa polêmica neste post! Olha a tag "polêmica" lá embaixo dele!Concordo com você quando vc diz que o problema é grave, mas acho que, neste caso, os fins não justificam os meios. A questão da violência no Rio é MUITO mais complexa do que simplesmente o Estado estar ou não exercendo sua força nas favelas. Por isso, colocar as Forças Armadas por lá só 'encobre' o problema real, que é a corrupção. Dá uma sensação de alívio que é falsa. E outra, o fato dos soldados não estarem nas fronteiras, isso sim é um problema. Porque não estão lá? Por que não estão lá impedindo que a droga entre no país? Será correto deslocá-los de lá para as favelas?Para que serve a nossa polícia, então? Não seria melhor acabar com elas e deixar, então, só o exército cuidando da segurança pública?O mais fácil, contudo, para o governo, ao invés de pensar numa política séria de Defesa Nacional e de Segurança Pública (internamente) é colocar o exército e a tal recém criada Força Nacional de Segurança pra tapar os buracos.E é claro que a população vai apoiar. Quem é louco de não querer ver a situação do tráfico se aliviar mesmo que por um tempo? Mas, e depois? E se as próprias forças armadas se corromperem também?E quem move as ações de inconstitucionalidade? Os próprios deputados milicianos atolados até as tampas com a corrupção. E, mesmo que não estejam, iriam contra o desejo da população vítima do sistema do qual eles mesmos fazem parte?Aliás, a mesma coisa serve para as estradas. Ao invés de investir em infra estrutura, coloca o soldado lá tapando buraco.Soldado no Brasil tem servido pra isso ultimamente: tapar os buracos do nosso país...

Mario Henrique Mendes
Mario Henrique Mendes

Utilizar as Forças Armadas nada mais é do que simplesmente dar uma utilidade àquele bando de gente treinada e com pouco serviço, não é mesmo? Afinal, há muito tempo o Brasil não entra em uma guerra. Qual a porcentagem de militares que está realmente protegendo nossas fronteiras desde a Amazônia até a região sul, e qual a porcentagem dos que estão nos batalhões espalhados pelo país, fazendo nada? Se temos pessoal apto e disponível para missões de paz no exterior, como no Haiti, por que não para "missões de paz" no nosso próprio território? Há muito se discute a necessidade ou não de utilização das forças armadas no combate ao tráfico. Acho justo que sejam utilizadas. 1) O povo apoia. 2) O povo precisa, visto que parte considerável da polícia se corrompe. 3) Os bandidos, ou seja, o inimigo, há muito tempo utiliza-se de armas das próprias Forças Armadas (conseguidas por contrabando ou outras formas escusas)... Logo, pra vencer um lado que utiliza-se de armas militares (em todos os sentidos), nada melhor do que o Estado poder também utilizar-se de suas melhores forças militares: Exército, Marinha e Aeronáutica. Ou será que alguém aqui, em sã consciência, vai tentar impedir as operações no Complexo do Alemão alegando inconstitucionalidade? Cadê a campanha "Ação Direta de Inconstitucionalidade já", "Se Liga STF", etc? Os "novos caras-pintadas" a favor da Constituição estariam, então, também do lado da bandidagem? Por essa nem o Capitão Nascimento e sua luta contra o sistema esperavam!!!

Mário Machado
Mário Machado

Vale somar a esse pontos que as operações policiais estavam suspensas no conjunto do alemão para não prejudicar as obras do PAC. O que mostra que há uma inaceitável promiscuidade com a noção de poder parelelo por parte do governo (todos os niveis).Advogando para belzebu tenho que dizer que vários países do mundo tem obras públicas importantes e/ou emergenciais por conta de seus batalhões de engenharia. Assim essas obras são de certa maneira parte do escopo de atuações de um militar. Quanto a pergunta que está no lead dessa (excelente diga-se de passagem) postagem. Eu responderia que a função das FFAA é proteger a Constituição Federal contra seus inimigos externo e internos. [que gringo isso!] Contudo, dado o passado de ingerências das FFAA na vida política não sei se cultivar uma definição como essa seja prudente.Quanto a cadeia de comando eu pensei a mesma coisa, mas advogadas conhecidas (sim, todas mulheres) não viram ilegalidades no emprego. Mas, para ter certeza quando tiver tempo vou ver o que as doutrinas das FFAA dizem sobre isso. (Afinal depois da Igreja Católica são os militares que mais gostam de uma doutrina)Para terminar essa longa intervenção. Eu vi a bandeira como o 15 de novembro de 1890 finalmente chegando para as comunidades mais pobres desse país. Entretanto não nutro maiores esperança. Mais que não desistir ser brasileiro e não esperar seriedade e eficiência dos governantes.Abs,

Alcir Candido
Alcir Candido

Pois é, Álvaro. Excelentes pontos. Mais uma vez fica clara a questão política que está no meio disso tudo e a incompetência do governo (tanto federal quanto do Rio). Além, é claro, da ineficácia das nossas polícias...

Álvaro Panazzolo Neto
Álvaro Panazzolo Neto

3 coisas a se pensar sobre esse assunto: 1) deram um baile na Constituição (forças armadas servindo de apoio às polícias, quando a cadeia de comando impõe exatamente o OPOSTO); 2) muitos já levantarm isso - é inadmissível tratar esse tipo de operação como "guerra", pois não há um inimigo que declaradamente mantém operações regulares e ameaça o Estado, além de abrir brecha para o uso de medidas extremas e que podem ferir cidadãos involuntariamente (como vítimas da guerra, quando deveriam ser protegidos pelas forças de segurança); 3) se era tão fácil derrubar o tráfico em um dia, por que isso não foi feito antes? Perguntem ao governo do Rio.