A Assembléia Geral da ONU

Por

[Estou sem acesso à internet e fiquei uns dias sem postar, hoje faço dois posts]

Nada como uma crise internacional sem precedentes para fazer com que o mundo passe a olhar com mais atenção o que acontece no plano internacional. E a ONU, que infelizmente não tem muitas funções além de um grande palco para discursos e peripécias, passa a ter grande importância (Nessa hora eles lembram da ONU, Ivan). E tem gente que gosta de aproveitar os holofotes.

Veja o caso do Muammar Kadafi, líder da Líbia. Usou uma hora e meia do tempo dos presentes para defender o Talibã, rasgar a Carta da ONU e defender Obama. Aliás, ele já chamava a atenção meses antes da reunião quando queria instalar sua tenda no Central Park.

E o discurso do presidente Lula? (Leia a íntegra aqui) É a primeira vez na história dessa república que se esperou tanto pelo primeiro discurso da Assembléia Geral. Isso é ótimo para o nosso país. Esse pelo menos usou bem o palco! Não sou fã da Política Externa adotada por esse governo, mas o fato é que o Brasil hoje tem a voz que sempre quis ter no mundo.

Mas, infelizmente, besteiras ainda continuam sendo feitas. Lembram da visita que o Ahmadinejad faria ao Brasil (Leia aqui e aqui)? O governo parece que havia percebido à época o quão comprometedora a visita seria e a cancelou. Agora, o Lula usou a reunião da ONU para aparecer com o Ahmadinejad. Pura imprudência.

O fato é que o Brasil quer ser gente grande, como diz o Giovanni. E toda criança que quer ser grande gosta de fazer pirraça. Quando a adolescente está crescendo, desafia os pais saindo com o menino que a família não gosta. É mais ou menos isso que tem acontecido. O Brasil, além de todos os fatores econômicos e políticos que nos ligam com o Irã, gosta de aproveitar os momentos com eles para mostrar ‘independência’. Mas à medida que a criança cresce, a pirraça passa. Isso deve acontecer logo com o Brasil…

Outro momento importante da reunião: o discurso do Obama. Veja mais aqui e aqui. Se o Bush se colocava como o xerife do mundo e os EUA como o grande ‘resolvedor’ de problemas, Obama já deixou claro que com ele a história é outra.

E a Rússia? Após resolver os problemas do escudo anti mísseis com os EUA, dá sinais de que pode cooperar na questão nuclear. O grande problema para aprovar resoluções mais contundentes para o Irã e Coréia do Norte no Conselho de Segurança era a Rússia. O discurso do presidente russo sinalizou que eles podem ter mudado de idéia. E a China já se manifestou.

Mas com a Rússia não se brinca.

Mas parece que o Conselho de Sergurança até já aprovou algo sobre armas nucleares. Mas aprovar algo sério e específico sobre Irã e Coréia do Norte é outra história. Até porque a Rússia pode até cooperar, mas a China também tem poder de veto.

Por enquanto é isso. E tem reunião do G-20 logo mais!


Categorias: Organizações Internacionais