Por

Será que essa vai dar certo?

Fica difícil de entender o que a ANP (Autoridade Nacional Palestina) quer com essa nova “empreitada”. Suscintamente: o atual presidente da ANP, Mahmoud Abbas, disse que irá apresentar ao Conselho de Segurança das Nações Unidas uma declaração de independência/soberania. Essa declaração é uma afirmação unilateral de que a Palestina agora é território independente de Israel.

Nada contra essa independencia, pelo contrário, ela já viria tarde. Mas é no mínimo complicado acreditar que essa declaração será aceita na maior boa vontade, que todos aprovarão e que no final da reunião vai rolar um bolo, champange, etc. E não sei de onde o Abbas tirou que “se não aceitarem, eu renuncio” vai fazer os membros do Conselho mudarem de idéia. Porém, devemos analisar friamente a geopolítica da questão: essa possível independência pode alterar dráaticamente a dinâmica dos conflitos e tensões do Oriente Médio.

Por mais que o Obamias agora seja a favor da Palestina, que diga que as demandas são legítimas, que as colônias isralenses na Faixa de Gaza e na CisJordânia devem ser removidas gradualmente e etc, ele dificilmente vai aprovar essa declaração. Os EUA irão argumentar coisas na linha de:

1- “Não existem condições de paz”

2- “O processo deve ser gradual”

3- “Israel pediu pro Papai Noel o veto no Conselho. E nada pode entrar no caminho do Natal.”

Não que esses argumentos não sejam verdades em alguma escala, mas nesse caso serão usadas como desculpa para a manutenção do status quo geopolítico atual e continuar o agrado aos parceiros/escudos Israelenses.

Pra piorar a questão, eles e a UE já disseram que vetarão, pois os palestinos devem “dar ao novo governo de Israel uma oportunidade na mesa de negociações”. Afinal, essas negociações sempre deram certo…


Categorias: Estados Unidos, Organizações Internacionais, Oriente Médio e Mundo Islâmico